Autismo e o que é ser normal? 10 personalidades autistas para desfazer o preconceito

Autismo e o que é ser normal? 10 personalidades autistas para desfazer o preconceito

Romper ideias pré-estabelecidas. Propor novos conceitos. Ampliar os olhares e possibilidades de vida. Destravar a porta do estranhamento e se lançar para fora da caixa. Afinal de contas, o que é ser normal? Ao nos depararmos com a pluralidade de ‘gentes’ no mundo, passamos a compreender que as especificidades de cada uma não devem ser encaradas como impedimentos no instante em que estas características fogem de um determinado padrão. É o caso das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).  

Infelizmente, há ainda muito tabu em relação ao Transtorno do Espectro Autista (TEA), que se refere a “uma série de condições caracterizadas por algum grau de comprometimento no comportamento social, na comunicação e na linguagem”, de acordo com definição da Organização Mundial da Saúde (OMS). Por isso, é fundamental trazer para o debate e para o conhecimento das pessoas, as reais possibilidades que fazem parte, sim, das vidas dos portadores de TEA. 

Neste sentido, desta vez, preparamos um artigo com uma lista de dez personalidades que se declaram autistas para que, diante delas, possamos nos livrar – e livrar os outros – de amarras e de padrões que aprisionam e reduzem pensamentos, sonhos, planos e vidas. Afinal, como diz a frase extraída da música, Vaca Profana, de Caetano Veloso, “de perto ninguém é normal”.

Acompanhe com a gente!

Susan Boyle - cantora

Susan Boyle – cantora

Susan Boyle ficou conhecida no mundo todo após participar do programa Britain’s Got Talent, em 2009. Fora dos padrões estéticos da indústria de massa e perto de completar 50 anos, a cantora fez uma apresentação que impressionou o público e viralizou na internet.

Boyle recebeu o diagnóstico de autismo na idade adulta, em 2012, no auge de seu sucesso. Segundo a cantora, em entrevista ao jornal The Guardian, o diagnóstico não lhe trouxe restrições, mas a partir dele, finalmente, as pessoas passaram a compreendê-la melhor.

Anthony Hopkins - ator

Anthony Hopkins – ator

Assim como Susan Boyle, o autismo do ator britânico Anthony Hopkins foi descoberto na idade adulta. Na verdade, no caso dele, a descoberta da condição se deu na terceira idade, perto dos 70 anos.

Hopkins foi vencedor do Oscar de Melhor Ator no filme “O Silêncio dos Inocentes”. Em uma entrevista ao Daily Mail, o ator disse que é solitário, não vai à festas nem tem muitos amigos, mas que o transtorno o ajudou como o ator, pois é capaz de olhar para as pessoas de maneira diferente e, assim, desconstrói e constrói os personagens também de forma diferente e única.

Courtney Love - atriz e cantora

Courtney Love – atriz e cantora

Courtney Love, cantora, compositora e atriz norte-americana, conhecida por sua banda Hole e ex-esposa de Kurt Cobain, é portadora do Transtorno do Espectro Autista.

Ela foi diagnosticada com autismo ainda na infância, aos 9 anos de idade, e revelou o transtorno aos fãs aos 33, em sua autobiografia, “The Real Story”, lançada em 1997.

Entre suas declarações a respeito da condição, Courtney disse que, no caso dela, a introversão é uma das principais características do TEA.

João Vitor Silva Ferreira – atleta 

No Brasil, temos o judoca João Vitor Silva Ferreira, o primeiro brasileiro campeão mundial de judô para pessoas com deficiência intelectual.

João recebeu o diagnóstico aos 13 anos, mas aos seis já havia ingressado em atividades, como natação, que ajudam a melhorar a coordenação motora e respiração. O judô foi um aliado no trabalho em relação à sociabilidade, à concentração e à disciplina.

Hoje, além de fazer parte da Seleção Brasileira de Judô para Todos, João é vencedor de campeonatos estaduais e internacionais, em países como Itália e na Holanda.

Diego Vivaldo - atleta 

Diego Vivaldo – atleta 

Mais um atleta brasileiro, campeão mundial e sul-americano de jiu-jitsu, Diego Vivaldo descobriu, aos 34 anos, ser portador da Síndrome de Asperger, considerada uma forma leve de autismo.

Em entrevista, Diego contou que, desde pequeno, não gostava de multidões e reuniões. Ele já tinha problemas com convívio social e preferia ficar mais isolado. Foi o próprio Diego, que, ao ler um artigo sobre Asperger, se identificou com as características e foi em busca de especialistas. 

Para ele, foi um alívio, pois o conhecimento permitiu que compreendesse melhor seus comportamentos.

Dan Harmon – produtor

O produtor norte-americano, Dan Harmon, foi diagnosticado com Síndrome de Asperger já adulto. Ele foi responsável pela criação da série animada “Rick e Morty” e também pela produção da série “Community”. Foi por meio do personagem Abed, que Harmon começou a desconfiar da síndrome.

Ele relatou que, ao pesquisar sobre as excentricidades do personagem relacionadas ao Asperger, passou a se identificar com os artigos. O diagnóstico veio quando ele tinha 38 anos.

Daryl Hannah – atriz

A atriz norte-americana Daryl Hannah tem autismo e ficou conhecida ao fazer o filme “Splash – Uma Sereia Em Minha Vida”, na década de 80. Ela também é lembrada por seu papel como Elle Driver, em “Kill Bill”.

Dan Aykroyd – ator

Dan Aykroyd é um comediante conhecido por atuar em “Os Caça-Fantasmas” e em outros filmes como “Como se Fosse a Primeira Vez”. Ele também é portador da Síndrome de Asperger. 

O diagnóstico aconteceu aos 12 anos de idade e o ator chegou a ser expulso de escolas por conta de seu comportamento, antes da descoberta do transtorno.

Nina Marker - modelo

Nina Marker – modelo 

A modelo dinamarquesa, Nina Marker, é conhecida internacionalmente e é outra famosa que convive com a Síndrome de Asperger.

Ela foi diagnosticada aos 15 anos e, hoje, usa de sua posição como modelo para falar sobre a condição e sobre como é possível conquistar realizar sonhos e objetivos mesmo com algumas limitações.

Greta Thunberg - ativista

Greta Thunberg – ativista 

A sueca, que se tornou um fenômeno global sobre consciência ambiental e mudanças climáticas, é portadora da Síndrome de Asperger.

Aos 16 anos, Greta foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, em 2019, e fala sobre o transtorno sem medo. Em suas redes sociais, a ativista afirmou que a síndrome é como um superpoder.

Albert Einstein - autista ou não? 

Albert Einstein – autista ou não? 

Aqui temos um caso curioso. O físico alemão, Albert Einstein, nunca chegou a ser, de fato, diagnosticado. Mas, para especialistas que acompanham e estudam sua história de vida talvez, Einstein, realmente, era portador de TEA.

Segundo os estudiosos, Einstein apresentava sinais de Asperger, como interesses obsessivos, dificuldades de comunicação e problemas para se relacionar.

Até os sete anos de idade, Einstein tinha o hábito de ficar repetindo frases exaustivamente e era um menino solitário. Ao lecionar, era conhecido como uma pessoa confusa.

Na ausência de provas, há controvérsias. Há quem defenda que talvez Einstein fosse apenas excêntrico, mas não necessariamente portador de um transtorno. O fato é que ele deixou um legado fundamental para a ciência e fez história. 

Por fim, depois de conhecer e reconhecer nomes de personalidades responsáveis por grandes conquistas e transformações no mundo, compreendemos a importância da quebra de tabus e da urgência em rever nosso entendimento sobre o que é ser normal. Além disso, aproximamos e levamos representatividade às pessoas com TEA. 

Instituto SER – Escola Terapêutica Transdisciplinar

Instituto SER – Escola Terapêutica Transdisciplinar

O Instituto SER, de Campinas, nasceu em 1989, ao ser elaborado dentro de um Trabalho de Conclusão de Curso de Terapia Ocupacional.

Atualmente, atua no desenvolvimento humano e na socialização de pessoas, principalmente, com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), Síndromes associadas, Síndrome de Down, e outros transtornos, como também no apoio aos seus familiares.

A instituição oferece tratamento e escolarização por meio de metodologia própria e também por meio da metodologia ABA (Análise do Comportamento Aplicada), que contempla a estimulação contínua do repertório de atividades cognitivas, sociais e ocupacionais.

O SER é mantenedor da Clínica e da Escola Terapêutica Transdisciplinar – Modalidade Educação Especial de 1º ao 9º ano. Para saber mais, acesse o nosso site

Até o próximo!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on tumblr
Tumblr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *