Escola terapêutica transdisciplinar.

O Instituto SER, Escola Terapêutica Transdisciplinar – Modalidade Especial, é uma escola de regime particular nos termos legais da atual legislação vigente, autorizada a oferecer o ensino fundamental do 1º ao 9º ano na modalidade Educação Especial.

A proposta de trabalho baseia-se no “caminho a ser construído” para cada educando e na experiência adquirida em três décadas de atuação em prol da inclusão. Uma trajetória de reconhecidas conquistas, desde o seu início, com o nome “Instituto SER – Senso’ Educação Reintegrada”.

Entendemos que o respeito à diversidade e o atendimento especializado devem ser valorizados e incorporados aos processos de aprendizagem. Assim, consideramos as capacidades que cada educando possui, partindo de suas características únicas, do indivíduo a ser desenvolvido.

Adotamos e praticamos a transdisciplinaridade. Acreditamos em ações conjuntas nas áreas educacional e da saúde, para que sejamos uma escola transformadora, sempre pautada por norteadores éticos.

Inserida na Escola Terapêutica Transdisciplinar, esse modelo pedagógico utiliza as especificidades de cada disciplina, com apoio da equipe de saúde, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento de cada educando no que diz respeito às suas dificuldades de aquisição do conhecimento.

Fazem parte deste trabalho transdisciplinar: psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionista, especialistas em atendimento ABA (profissionais atuantes em Análise Aplicada do Comportamento, psiquiatras e psicanalistas).

Os atendimentos incluem atividades para as famílias, algo que consideramos imprescindível no processo de socialização e inclusão dos pacientes educandos, tais como:

  • Atendimento e orientação de famílias
  • Escola aberta
  • Espaço de convivência
  • Reunião de pais
  • Atividades artísticas.
autismo-escola-terapeutica-transdisciplinar-inclusao

Inclusão

autismo-escola-terapeutica-transdisciplinar-superacao

Superação

autismo-escola-terapeutica-transdisciplinar-respeito

Respeito

autismo-escola-terapeutica-transdisciplinar-compreensao

Compreensão

autismo-escola-terapeutica-transdisciplinar-acolhimento

Acolhimento

Escolas terapêuticas.

As Escolas Terapêuticas têm como missão acolher pessoas que apresentam sintomas ou que já receberam um diagnóstico de transtorno mental e oferecem um contexto de aprendizado adequado às suas necessidades.

Acolher e acompanhar a pessoa em ações intencionadas pedagógico-terapeuticamente tem por meta educar pela sua experiência ativa no mundo. Aqui o educador leva a pessoa através de sua própria representação mental. O pensar, o sentir e o querer das crianças, adolescentes e adultos são estimulados na educação terapêutica. A premissa é que o educador engaje seu próprio pensar, sentir e querer nesse processo, para agir como um mediador das ações dessas pessoas.

A postura, baseada na empatia do educador, pode levá-la a sentir que está sendo compreendida, premissa fundamental para seu desenvolvimento nas ações de seu cotidiano. Uma ação que se torna pedagógico-terapêutica só se concretiza quando se dirige a um interesse concreto da pessoa.

As influências externas que atuam sobre a vida do indivíduo devem também ser acolhidas ativamente, elaborá-las e tomar iniciativa a partir delas. Esta interação de fatores exteriores e interiores participa da constituição da pessoa e tem uma importância essencial para sua vida.

Na realidade educativa, é natural que estes processos interajam e sejam compreendidos como uma conexão complexa de fatores interativos. A separação só se faz academicamente, mas só consegue ser estabelecida com um trabalho diferenciado e com a formação do profissional de educação terapêutica.

No processo educacional é imprescindível recorrer à Transdisciplinaridade. Uma Escola Terapêutica só será completa dentro dela. É necessário romper com as fronteiras entre uma disciplina e outra, buscando a compreensão da pessoa e a aquisição de seus conhecimentos de maneira contextualizada.

Esta abordagem científica, a Transdisciplina, vem modificando a forma como o homem se volta para si mesmo e procura entender seu papel no mundo e também própria compreensão da interação do universo com o ser humano, na construção do saber.

O termo Transdisciplina foi criado pelo educador Jean Piaget, no I Seminário Internacional sobre Pluri e Interdisciplinaridade em 1970, na Universidade de Nice. O tema é hoje um dos elementos científicos mais abordados por pesquisadores da Centre International de Recherches et d`Études transdisciplinaires (CIRET), pela necessidade de preservar sua singularidade, evitando incorrer no erro de se converter em uma única esfera do conhecimento.

Para a transdisciplinaridade, é preciso haver um pensamento organizador, chamado pensamento complexo. Nela o verdadeiro problema não é fazer uma adição de conhecimento, é organizar todo o conhecimento. Além disso, do ponto de vista humano, a transdisciplinaridade é uma atitude empática de abertura ao outro e seu conhecimento.

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) já têm definido alguns princípios básicos da educação que seriam o pluralismo de ideias e concepções pedagógicas, na perspectiva da inter, multi e transdisciplinaridade.

Dentro deste contexto descrito por Baptista e Bossa (2002), a finalidade da Transdisciplina é a compreensão de cada pessoa, de modo que haja uma unidade plural de conhecimentos e tem como fundamentos epistemológicos o trabalho em equipe, a geração de novas alternativas e estratégias de intervenções psicopedagógicas, a familiaridade dos educadores com cada área diferente da sua, a legibilidade e compartimento dos discursos e a tomada de decisão do consenso grupal.

Uma vez estabelecidas as metas e a prioridade de intervenções pela equipe, o tema a ser trabalhado segue a singularidade de cada área, mas com objetivos em comum.
“Segundo Caon (1994), na Transdisciplina importa muito mais a postura, as ações ou intervenções terapêuticas do educador no acolhimento da pessoa com dificuldades, do que a solução do problema a que as estratégias se destinam e uma tentativa de recriar novamente a essência de cada pessoa em questão”.

Como faço para me matricular?

Para ingresso no Instituto SER, a família deve realizar uma avaliação que poderá ser agendada pelo telefone de contato ou e-mail do Instituto SER.

Telefone (19) 3272-2520

Direitos dos autistas.

Os direitos dos autistas, além de protegidos pela Constituição Federal e pela Lei 13.146/2015 (Estatuto da Pessoa com Deficiência), são também protegidos por lei específica (Lei nº 12.764/2012) que em seu artigo 2º, III dispõe que “São diretrizes da Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista: III- a atenção integral às necessidades de saúde da pessoa com transtorno do espectro autista, objetivando o diagnóstico precoce, o atendimento multiprofissional e o acesso a medicamentos e nutrientes.”

Ainda, no ano de 2000, o Ministério Público do Estado de São Paulo, propôs Ação Civil Pública contra a Fazenda Pública do Estado de São Paulo (Proc. nº 0027139-65.2000.8.26.0053, perante a 6 ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central da Comarca da Capital), objetivando a condenação para obrigar o Estado a “arcar com as custas integrais do tratamento (internação especializada ou em regime integral ou não), da assistência, da educação e da saúde específicos, ou seja, custear tratamento especializado em entidade adequada (não estatal, portanto, já que não existe com tais características uma única no âmbito do Estado) para o cuidado e assistência dos autistas residentes no Estado de São Paulo que, por seus representantes legais ou responsáveis, comprovem mediante atestado médico tal condição (de autista) (…)”, sendo certo que tal ação foi julgada procedente, garantindo tratamento adequado aos autistas residentes no Estado de São Paulo, mediante custeio pela Fazenda Pública do Estado de São Paulo, até que “providencie unidades especializadas próprias para o tratamento de saúde, educacional e assistencial aos autistas, em regime integral ou parcial especializado para todos os residentes no Estado de São Paulo.


Procure seu advogado e saiba os seus direitos!